Conheça 10 mulheres Potiguares que fizeram história

No estado do RN os movimentos feministas sempre estiveram a frente do resto do país. Aqui a mulher conquistou primeiro o direito ao voto e ser votada, e fez história na literatura, música e na educação.

MULHER POTRIGUAR QUE FEZ HISTÓRIA

10 mulheres potiguares que fizeram história – elenco de imagens: GDP/Reprodução da Internet

O estado do Rio Grande do Norte historicamente é conhecido como um dos do movimento feminista no Brasil. Desde o Brasil-Colônia, com a índia Clara Camarão (nossa primeira heroína nacional), passando por Celina Guimarães Viana (em 1927 ela fez história tornando-se a primeira eleitora registrada foi no Brasil), até os dias atuais, com a professoa Debora Seabra que se tornou a primeira professora brasileira portadora da Síndrome de Down. E por estarmos no mês de março  o blog Diversidade Potiguar elencou as 10 mulheres potiguares que fizeram história.


01 – CLARA CAMARÃO

01 - Clara CamarãoBatizada como Clara Filipa Camarão foi uma indígena brasileira provavelmente da tribo potiguar no bairro de Igapó na cidade do Natal, então Capitania do Rio Grande (hoje o estado do Rio Grande do Norte), nascida na metade do século XVII que foi catequizada por padres jesuítas juntamente com seu marido Filipe Camarão adotando o mesmo sobrenome que ele. É considerada uma das precusoras do feminismo no Brasil já que ela rompeu barreiras acabando com a divisão de trabalho da tribo ao se afastar dos afazeres domésticos, para participar de batalhas junto ao seu marido durante as invasões holandesas em Olinda e no Recife. Clara também liderou um grupo de guerreiras nativas na luta contra os holandeses durante a colonização na cidade Porto Calvo no estado de Alagoas em 1637. Não há registro do local e data de sua morte.

Saiba mais sobre a história de Clara Camarão clicando AQUI e AQUI

02 – NÍSIA FLORESTA

Nisia-FlorestaNísia Floresta Brasileira Augusta, pseudônimo de Dionísia Gonçalves Pinto, (Papari, RN, atual Nísia Floresta, 12 de outubro de 1810 — Bonsecours, França, 24 de abril de 1885) foi uma educadora, escritora e poetisa potiguar. É considerada uma pioneira do feminismo no Brasil e foi provavelmente a primeira mulher a romper os limites entre os espaços público e privado publicando textos em jornais, na época em que a imprensa nacional ainda engatinhava. Nísia também dirigiu um colégio para moças no Rio de Janeiro e escreveu livros em defesa dos direitos das mulheres, dos índios e dos escravos.

Saiba mais sobre a história de Nísia Floresta clicando AQUI, AQUI e AQUI

03 – AUTA DE SOUZA

03 - Auta de SouzaAuta de Souza foi a poetisa norte-rio-grandense que mais ficou conhecida fora do Estado. Sua poesia, de um romantismo ultrapassado e com leves traços simbolistas, circulou nas rodas literárias do país despertando sempre muita emoção e interesse, e foi fartamente incluída nas antologias e manuais de poesia das primeiras décadas. Como a maioria dos escritos femininos, sua obra poética deixou-se contaminar pelas experiências vividas, o que, aliás, não compromete o lirismo e o valor estético de seus versos.

Saiba mais sobre a história de Auta de Souza clicando AQUI e AQUI

04 – CELINA GUIMARÃES

04 - Celina GuimarãesCelina Guimarães Vianna: Foi a primeira eleitora do Brasil, alistando-se aos 29 anos de idade. Com advento da Lei nº 660, de 25 de outubro de 1927, o Rio Grande do Norte foi o primeiro estado que estabeleceu que não haveria distinção de sexo para o exercício do sufrágio. Assim, em 25 de novembro de 1927, na cidade de Mossoró, foi incluído o nome de Celina Guimarães Vianna na lista dos eleitores do Rio Grande do Norte. O fato repercutiu mundialmente, por se tratar não somente da primeira eleitora do Brasil, como da América Latina.

Saiba mais sobre a história de Celina Guimarães clicando AQUI e AQUI

05 – ALZIRA SORIANO

05 - Alzira SorianoLuíza Alzira Soriano Teixeira foi a primeira prefeita eleita no Brasil e na América Latina. Tomou posse no cargo em 1º de janeiro de 1929. Viúva, Alzira Soriano disputou em 1928, aos 32 anos, as eleições para a prefeitura de Lajes, cidade do interior do Rio Grande do Norte, pelo Partido Republicano, e venceu com 60% dos votos, quando as mulheres nem sequer podiam votar.

Saiba mais sobre a história de Alzira Soriano clicando AQUI, AQUI e AQUI

06 – JOANNA BESSA

06 - Joana Cacilda BessaJoana Cacilda Bessa, a primeira Vereadora do Brasil. Joana nascecu em 26 de Setembro de 1898, filha de José Marcolino Bessa e Emília Rosa Botão. Ela foi a primeira eleitora de Pau dos Ferros, um pequeno município de Jaú, e, em 1927, a primeira intendente municipal. Foi eleita em 2 de setembro de 1928 com 725 votos. Joana Cacilda foi a primeira mulher do Rio Grande do Norte e do Brasil a se eleger Vereadora, já que, na época, esse cargo era denominado de Intendente. Faleceu em 01 de novembro de 1998 aos 102 anos. Cacilda apenas é lembrada como primeira eleitora de Pau dos Ferros, mas os pesquisadores nunca se aprofundaram na história dessa mulher, que fez história sendo a primeira Vereadora de nosso País.

Saiba mais sobre a história de Joanna Bessa clicando AQUI e AQUI

07 – MARIA DO CÉU FERNANDES DE ARAÚJO

07 - Maria do Céu Fernandes de AraújoMaria do Céu nasceu na cidade de Currais Novos em6 de outubro de 1910 e foi a primeira mulher a ocupar o cargo de deputada na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte, e por extensão, também a primeira deputada estadual mulher no Brasil. Eleita com 12.058 votos, teve seu mandato cassado em 1937, por discordância das idéias getulistas durante o Estado Novo.

Saiba mais sobre a história de Maria do Céu clicando AQUI e AQUI

08 – DONA MILITANA

08 - DONA MILITANAMilitana Salustino do Nascimento, mais conhecida comoDona Militana (São Gonçalo do Amarante, 19 de março de 1925 — São Gonçalo do Amarante, 19 de junho de 2010) foi uma cantora de versos brasileira, considerada por muitos a maior romanceira do Brasil.

Na década de 1990, o folclorista Deífilo Gurgel conheceu os cantos de Dona Militana e permitiu que o país inteiro conhecesse o talento dela. A romanceira chegou a gravar um CD triplo intitulado “Cantares”, lançado em São Paulo e Rio de Janeiro. Críticos e jornalistas de grandes jornais brasileiros se renderam aos encantos e a peculiaridade da voz de Dona Militana. Em setembro de 2005, ela recebeu das mãos do presidente Lula a Comenda Máxima da Cultura Popular, em Brasília.

Saiba mais sobre a história de Dona Militana clicando AQUI e AQUI

09 – ADEMILDE FONSECA

09 - Ademilde FonsecaAdemilde Fonseca Delfino (São Gonçalo do Amarante, 4 de março de 1921 — Rio de Janeiro, 27 de março de 2012), mais conhecida como Ademilde Fonseca, foi uma cantora  Suas interpretações a consagraram como a maior intérprete do choro cantado, sendo considerada a “Rainha do choro”. Trabalhou por mais de dez anos na TV Tupi e seus discos renderam mais de meio milhão de cópias. Além de fazer sucesso em terras nacionais, regravou grandes sucessos internacionais e se apresentou em outros países.

Faleceu de infarto fulminante em sua casa, no Rio de Janeiro, poucos dias depois de completar 91 anos.

Saiba mais sobre a história de Ademilde Fonseca clicando AQUI e AQUI

10 – DEBORAH SEABRA

10 - DEBORA SEABRAA professora potiguar Déborah de Araújo Seabra de Moura é a primeira professora com síndrome de Down no Brasil, segundo a Associação Síndrome de Down do Rio Grande do Norte. Ela é professora auxiliar de desenvolvimento infantil há nove anos e acaba de publicar o livro “Déborah conta histórias”, da editora Alfaguara.

Saiba mais sobre a história de Deborah Seabra clicando AQUI e AQUI

Anúncios

Sobre grupodiversidadepotiguar

O Grupo Diversidade Potiguar não pretende ser mais uma ONG, mas sim um grupo de amigos que pretende promover ações assertivas no combate às diversas formas de discriminações e preconceitos que atrasam a nossa sociedade (LGBTfobia, Machismo, racismo, xenofobismo, detre outras). O "Grupo Diversidade Potiguar" é de natureza política e de direito social; sem finalidades lucrativas e destituída de toda natureza ideológica-político-partidária ou religiosa,
Esse post foi publicado em BRASIL, CONQUISTA, CULTURA, mulher e marcado , , . Guardar link permanente.

21 respostas para Conheça 10 mulheres Potiguares que fizeram história

  1. Quintino Medeiros disse:

    Parabéns pela matéria. No quadro sobre Celina Guimarães Viana, ao invés de “Lei nº 660, de 25 de outubro de 1827”, não deveria constar “Lei nº 660, de 25 de outubro de 1927”?

    Curtido por 1 pessoa

  2. Aline Guerra disse:

    Tá faltando Noilde Ramalho, no mínimo!

    Curtido por 1 pessoa

    • Sim, claro, Aline! Nomes como “Noilde Ramalho”, “Isabel Gondim”, “Micarla de Souza”, “Vilma de Faria”, “Rosalba Ciarline” “Judite Nunes, “Ângela Paiva” (dentre tantas outras) foram muito importantes na sociedade potiguar. Porém, para deixar a lista mais enxuta, decidimos litar apenas 10 nomes. Mas isso não desmerece o valor histórico das demais.

      Curtir

  3. Jayra Gondim de Araújo disse:

    Faltou Isabel Gondim a primeira professora concursada do Rio Grande do Norte.

    Curtido por 1 pessoa

    • Jayara, nomes como “Noilde Ramalho”, “Isabel Gondim”, “Micarla de Souza”, “Vilma de Faria”, “Rosalba Ciarline” “Judite Nunes, “Ângela Paiva” (dentre tantas outras) foram muito importantes na sociedade potiguar. Porém, para deixar a lista mais enxuta, decidimos litar apenas 10 nomes. Mas isso não desmerece o valor histórico das demais.

      Curtir

      • Nathalie Bernardo da Câmara disse:

        Na condição de biógrafa da escritora e educadora Nísia Floresta Brasileira Augusta (1810 – 1885), considerada a pioneira do feminismo no Brasil, gostaria de fazer uma correção: a foto que supostamente seria a de Nísia Floresta é, na verdade, de Izabel Gondim (1839 – 1933), igualmente educadora, embora de ideias conservadoras, diferentemente de Nísia, que, aliás, não morreu em Rouen, mas em Bonsecours.

        Curtir

      • Nathalie, agradecemos a gentileza sua de nos passar as informações corretas.
        1 – Fizemos pesquisas de imagens dela e encontramos a que estava no blog porque referindo-se à Nízia. Postamops como sendo ela por acharmos que era a Nízia quando Jovem.

        2 – O local de sua morte (Rouen) encontramos numa breve biografia dela no Wikpédia – por isso que não devemos confiar em tudo que encontramos na internet.

        Sem mais… OBG mais uma vez!

        Curtir

  4. Maria Neta Peixoto de Lima disse:

    Parabéns pela matéria, falta muita gente sim. Mas podemos colaborar acrescentando uma biografia de quem conhecemos e consideramos que realmente fizeram história…
    Parabéns pela nossa AUTINHA
    “AUTA DE SOUZA”

    Curtido por 1 pessoa

    • Maria, Nomes como “Noilde Ramalho”, “Isabel Gondim”, “Micarla de Souza”, “Vilma de Faria”, “Rosalba Ciarline” “Judite Nunes, “Ângela Paiva” (dentre tantas outras) foram muito importantes na sociedade potiguar. Porém, para deixar a lista mais enxuta, decidimos litar apenas 10 nomes. Mas isso não desmerece o valor histórico das demais.

      Curtir

  5. Netto disse:

    Boa lista, mas sem dúvidas faltou a Enfermeira Maria Alice Fernandes. Ela merecia estar na lista!

    Curtir

  6. Chandra disse:

    As que enfrentaram a ditadura, professoras, artistas do dia a dia, minha querida eque também foi ativista em 64 a 88.

    Curtir

  7. Jaidson disse:

    Maria Eugênia Montenegro?

    Curtir

  8. Irma Chaves Pessoa Monteiro disse:

    Como potiguar parabenizo a lista das mulheres que se destacaram . É claro que faltam muitas e sempre faltarão, mas o importante é que as contempladas o foram por um pioneirismo que muito nos honra.

    Curtir

  9. Zuleide A. Teixeira
    Claro que faltam algumas mulheres merecedoras dessa lista como as poetas Adele de Oliveira, Zilha Mamede e outras. Entretanto, as que foram colocadas são bastante representativas e voces estão de parabéns pela iniciativa.

    Curtir

  10. Jayra Gondim de Aro disse:

    É uma pena que vocês não tenha mencionado Isabel Gondim,apesar de terem postado a foto dela lá no início. Ela foi a primeira professora concursada do RN e vocês escanteiam.
    Lamentável !!!!

    Curtir

  11. Jayra Gondim de Aro disse:

    É uma pena que vocês não tenham mencionado Isabel Gondim,apesar de terem postado a foto dela lá no início. Ela foi a primeira professora concursada do RN e vocês escanteiam.
    Lamentável !!!!

    Curtir

  12. Leonardo Fontes disse:

    Zila Mamede também seria um bom nome.

    Curtir

  13. Jose Marcilio disse:

    Boa tarde, senhores

    Pesquisem sobre a vida e obra de irmã Ana nilia Regina da casa do pobre em Currais Novos. Ela merece ser agraciada. Abraços Marcílio Araújo

    Curtir

  14. Mirabô Dantas disse:

    Só pra lembrar: ZILA MAMEDE.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s